Sabe o que é ciclo de vida do produto? (ou, como ajudar o bloqueio criativo se planejando)

Primeiro de tudo, eu sei que muita gente escreve e acredita na escrita pelo prazer, como uma questão etéria da sua vida. Esse texto é mais sobre o negócio, porque apesar de ser oficio lindo, é o que traz dinheiro para muitas pessoas. Com a Amazon, muitos autores independentes conseguiram dividir as contas de casa ou até se tornarem responsáveis por todas elas. Então este artigo está mais focado no lado estratégico do que do lado bonito da coisa, ok? 

Então primeiro de tudo, sabe o que é o seu produto principal? Você! Pense em uma marca grande e seus lançamentos, esse são você e seus livros. Por exemplo? Eu sou Katherine York e lanço a série dos irmãos Hunt, incluindo o mais novo "Meu Destino". Também poderia ser a Coca-Cola e dentro da família das Fantas, lancei a Fanta Guaraná.

Sabendo disso, o que você precisa? Lançar novos produtos para aumentar a "família" e o sucesso da marca. Mas nem sempre isso é simples, porque não somos máquinas de escrever, mas entendendo um pouco da coisa, fica mais fácil se planejar.

Então voltando para a pergunta inicial: você sabe o que é ciclo de vida do produto? O CVP são todas as fases de venda, passando por introdução, crescimento, maturidade e declínio. Passando rapidamente por eles temos:
  • Introdução: quando você lança seu livro e ele está em ascensão, subindo em vendas mas ainda não atingiu seu ponto alto.
  • Crescimento: ele chega a sua melhor posição e se destaca.
  • Maturidade: o livro se estabiliza em uma posição e fica ali durante um tempo.
  • declínio: começa a cair até lentamente se estabelecer com números menores porém firmes.


Imagem da consultoria ABCADM

O que significa isso? Que você tem uma janela de oportunidade assim que lança um livro novo e depende da sua base de fãs, sua presença em redes sociais e outros tipos de ações. Então a venda aumenta e depois de um tempo, ele naturalmente cai, passando o "momento".

Mas ao contrário de produtos de prateleira, os e-books estarão sempre ali esperando um leitor. Uma pessoa pode pegar seu Kindle e com algumas palavras-chaves ler um livro lançado há meses ou anos - quanto mais otimizado melhor, já leu este artigo sobre SEO? 

É aqui que entra a teoria da Cauda Longa do Chris Anderson.

A teoria da Cauda Longa pode ser resumida como a curva resultante do foco em alguns hits relativamente pouco numerosos, produtos e mercados da tendência dominante, que avança em direção a uma grande quantidade de nichos na parte inferior, cauda da curva de demanda (2006). Aplicada a Amazon, essa teoria ajuda a criar grandes os fenômenos que conseguem se manter com publicações periódicas já que "os não-hits são tão numerosos, suas vendas, embora pequenas para cada faixa, rapidamente atingem volumes consideráveis” (ANDERSON, 2006).

Traduzindo tudo que eu falei nessa parágrafo anterior, é o seguinte: você não precisa conseguir um livro de sucesso meteórico, o importante para se manter no mercado é lançar periodicamente, fazer um certo nível de sucesso nas venda e isso vai te manter crescendo de forma continua, deixando sua marca como um nome relevante.

Mas o que significa um ciclo de vida de produto e a cauda longa para um autor?

Vou dar um exemplo para vocês: meus livros tem um pico de venda no primeiro mês (introdução e crescimento) se estabilizam e ficam por volta de dois meses com um número de leituras muito próximos (maturidade) e então começam a cair e ficam com uma leitura razoável porém longe do pico que consegui lá nas primeiras etapas (declínio). 

PS: lembrando que isso são meus livros, autoras diferentes, com livros de tamanhos diferentes e bases diferentes devem ter resultados diferentes. Analise seus dados e monte uma estratégia!

Então o que isso me leva a fazer? 

Entre dois e três meses depois de um lançamento, eu lanço outro livro. É o que mantem o meu negócio - a venda de livros - de forma saudável e com lucros adequados. Mais do que isso,  perco o público que conquistei com outros livros, menos do que isso e eu atropelo o ciclo de vida do meu produto. Então assim que termino uma história, me dou alguns dias e começo novamente, montando meu cronograma e planejamento (vou falar mais deles para frente) e efetivamente escrevendo. 

Aqui é cronograma e matemática pura e simples: 

3 meses = 90 dias = 60 dias úteis
  • 5 dias de descanso
  • 5 dias de planejamento
  • 45 dias de escrita
  • 5 dias de edição/revisão

Meus livros tem entre 100 e 150 páginas do word - não gosto de histórias longas e meu planejamento se encaixa nisso. Então dividindo meu máximo pelos dias que tenho, são 3,3 páginas de word. Logo minha meta são 10 mil caracteres com espaços.

Ou seja: eu tenho meu ciclo de vida de produto bem definido e lançamentos programados. Então quando um produto meu entra em declínio, lanço outro. Esta imagem mostra como funciona um portfólio dentro desta teoria:


(imagem tirada do site da FAO)

A cauda longa entra na parte em que meu livro não morre depois que eu o lanço. Ele ainda está por ai para quem quiser ler. Logo, ele está ali, longe do seu auge, mas também tendo algumas leituras. As coisas não param!

Então como isso pode me ajudar no bloqueio criativo? 

Eu faço um bom planejamento. Tenho um cronograma, descrição dos capítulos e planejamento de história. Se eu não consigo escrever 10 mil de um mesmo capítulo, vou escrever de dois ou três ao mesmo tempo. Se nem isso eu consigo, vou tirar esse dia para revisar algo que já fiz, para ter mais dias dentro da semana que programei para revisão.

Já bati algumas vezes na tecla que criatividade é um músculo que precisa ser exercitado. Parece difícil, mas depois de algum tempo, você de habitua. O ritual de escrever 10 mil caracteres por dia, por exemplo, me toma uma hora, no máximo duas. Encaro como meu segundo trabalho. Como eu falei, apesar da pegada etérea e de entretenimento, é um negócio, e como tal, precisa de dedicação para dar frutos